Esportes em Arraial do Cabo

Stand Up Paddle une adrenalina e diversão em Arraial do Cabo

Imagine flutuar sobre as águas. A brisa leve tocando seu rosto, a água do mar respingando sobre a pele e você indo de encontro às areias brancas de uma praia paradisíaca no litoral do Rio de Janeiro, apoiado apenas por uma prancha super larga e um remo. Parece difícil de imaginar não é? Não mais. A cidade de Arraial do Cabo, além de ser considerada pelos praticantes do surf e do kitesurf como o cenário ideal para o turismo de aventura, ganhou adeptos também de um esporte antigo, ágil e libertador, o Stand Up Paddle.

Praticado hoje por pessoas de todas as idades, o SUP, como é conhecido pela maioria dos praticantes, se constitui basicamente pelo ato de remar em pé sobre uma prancha larga. Este esporte já foi utilizado como meio de transporte para marujos que buscavam um meio seguro de passar pelos corais e por pescadores que precisavam se deslocar com mais desenvoltura.

No entanto, o SUP como esporte, só foi ambientado na década de quarenta, na praia de Waikiki no Havaí, por professores de surf conhecidos como Beachboys e só ganhou uma projeção maior quando alguns havaianos começaram a praticá-lo com mais freqüência e com equipamentos específicos. Esses equipamentos foram aperfeiçoados e hoje existe uma infinidade deles. Algumas pranchas são parecidas com as de windsurf, o que possibilita a leveza, a resistência e rendem manobras incríveis.

Para começar, no entanto, não é fácil. Assim como outros esportes radicais, o SUP exige a presença de um profissional gabaritado para ajudar ao futuro desportista a dar os primeiros passos. Arraial do Cabo possui escolas e profissionais capacitados que ensinam os princípios básicos desta modalidade esportiva. Venha conhecer a exuberância das praias da cidade e confira a sensação de caminhar sobre as águas.


Mergulhar:

Sugestões: 

Ilha do Farol, Maramutá e Saco do Cherne, Ilha dos Porcos, Praia do Forno, gruta Azul. Arraial do Cabo dispõe de 1.200 pontos de mergulho. É só ligar para qualquer operadora de mergulho do site e se informar.


Informações Sobre Mergulho:

Fendas e grutas submersas, naufrágios e azul profundo. A 158km do Rio de Janeiro, Arraial do Cabo, na Região dos Lagos, é considerada um verdadeiro santuário para quem gosta de mergulho. A região oferece boas condições para todo tipo de mergulhador e certificação. "A diversidade de peixes, a água clara e a possibilidade de prática das diversas modalidades, dos oito aos quarenta metros, são os pontos que me atraem em Arraial", diz Julio César Furtado, que há três anos mergulha naquelas águas.

Não é à toa que a cidade recebe mais de 12 mil mergulhadores por ano - brasileiros como Julio Cezar e muitos estrangeiros -, atraídos pela fauna abundante e pelas condições criadas pelo peculiar fenômeno da ressurgência, que muitas vezes permite visibilidade mesmo a profundidade de 30m. "Isso acontece quando as águas profundas, que vêm do pólo sul, afloram na região de Arraial do Cabo. Por isso a água é muitas vezes fria", explica o biólogo Jose Roberto Faria. O resultado é único: essas correntes, segundo o biólogo, podem ser ricas em nutrientes e propiciar a fixação de novas espécies, que chegam à região presas aos cascos das embarcações que viajam pelos mais distantes oceanos.

Arraial é sempre convidativa. Quem já esteve quer voltar e quem nunca visitou não sabe o que está perdendo. A cidade conta com nove operadoras, que promovem saídas diárias para os mais de 15 pontos de mergulho, existentes nas duas partes em que o mar de Arraial é dividido, delimitadas pela Ilha do Farol e Ilhas dos Porcos.

 

A área compreendida entre as duas ilhas é considerada parte de dentro, de águas mais rasas e tranqüilas, pois não sofrem a ação dos ventos fortes, que sopram na região. É ideal para quem está começando no esporte. Cação viola, raias pintadas, frades e tartarugas são espécies muito comuns por ali.

 

Um dos pontos dessa área é o Anequim, onde está concentrada a maior colônia de gorgônias, plantas que formam uma verdadeira floresta submarina e servem de refugio para pequenos peixes e cavalos-marinhos. A Ponta Leste é um outro local de mergulho raso. Sua principal característica é a presença de espécies de corais moles, originarias de outras regiões e que podem ter vindo presas a plataformas de petróleo. No Saco do Cherne, que fica no continente, as águas são calmas e a profundidade varia de seis a dez metros. No Cardeiro, o mergulho é um pouco mais fundo, chegando a 15 metros.

 

Nos pontos situados no lado de fora, em mar aberto, as águas são mais frias e indicadas a mergulhadores mais experientes devido ás fortes correntes. Para estes, vale a descida na Enseada do Oratório. Com ate 50 metros de profundidade, o local é pouco freqüentado quase inexplorado. Do lado de fora da Ilha dos Porcos, a profundidade chega a 45 metros e o fundo é de formação rochosas e tocas habitadas por peixes de grande porte. É uma opção para dias de vento sudoeste e apropriado para cursos avançados de mergulho. Ali, ao contrario da face da ilha voltada para o continente, nos grandes blocos de pedra que formam o costão, não há profusão de corais ou de gorgônias.

Na Ilha dos Franceses, a profundidade é praticamente a mesma e a curiosidade são os mangangás, peixes que se assemelham a pedras e chegam a pesar até cinco quilos. Mas um dos mais desejados pontos de mergulho da região é a Gruta Azul, um rochedo com cavidade ampla suficiente à superfície para permitir a entrada de pequenas embarcações. A aproximadamente 20 metros de profundidade há um túnel horizontal que termina em chaminé ao atingir a superfície. O mergulho nessa parte submarina, porem, só é aconselhável se as condições do mar estiverem excelentes. Ali perto, rumo a Ponta do Focinho, encontra-se o Buraco da Camarinha, formando por um enorme salão de fácil acesso pela superfície. Uma fenda com cerca de 30 metros vai até o fundo, dando passagem para o mar aberto.

 

Além da riquíssima fauna marinha, há inúmeras ruínas de embarcações que foram a pique nos costões da região. Segundo o Musel Oceanográfico da Marinha, na praia dos Anjos, no fundo do mar de Arraial do Cabo repousa o maior números de galeões, caravelas e fragatas, de várias nacionalidades, afundados. São apenas superados em quantidade pelos da baía de Todos Os Santos, na Bahia.

 

O mais conhecido e visitado é o Thetis, fragata inglesa que naufragou em 1830, no Saco dos Ingleses, levando consigo moedas de ouro, jóias, pedras preciosas e 40 vidas. A 25 metros de profundidade, ainda é possível encontrar canhões e peças do navio. O local é cercado por uma flora avermelhada e freqüentemente visitado por raias jamantas.

 

Outro naufrágio da mesma época é a fragata Dona Paula, que foi a pique em 1827, quando perseguia outra embarcação. Seus destroços, na Ilha dos Franceses, se espalham a profundidades que vão de 5 a 25 metros. Quase todo , seu grande hélice ainda pode ser visto praticamente intacto.

O Tunamar é um naufrágio mais recente. Ele afundou em 1994, próximo à Ponta do Focinho. O barco está inteiro, mas a profundidade de 65 metros em que se encontra o torna acessível somente para mergulhadores técnicos.

 

Surf

Sugestões: A Praia Grande, a Praia Brava e a Praia do Pontal são as mais indicadas, mas não esqueça de prestigiar o pôr do Sol na Praia Grande, que serve de fonte de inspiração para qualquer surfista.

 

Kite Surf

Sugestões : Distrito de Figueira e Monte Alto, na parte da Lagoa de Araruama, onde o vento é propício, e é tudo de bom.

Ler 8103 vezes Última modificação em Terça, 27 Maio 2014 20:45
Publicado em Institucional

Inscreva-se e receba notícias

Saiba Mais - Portal Arraial do Cabo Online

A equipe editorial, formada por jornalistas e pessoas apaixonadas pela cidade, está sempre presente e cuida para que o guia ofereça sempre conteúdos atualizados e as últimas novidades do que há de melhor na cidade.

Redes Sociais

twinter rss

Comentários de Clientes

 

Adorei a seriedade e a facilidade para encontrar as informações no site...

 

Quando fui viajar achei tudo que precisava aqui, PERFEITO...